Lacho Krechuno

O Natal é todo dia,
tal qual se acorda toda manhã.
Pode ter nome, muita emoção ou data de ano diferente,
pode se chamar de várias formas, essas são questões humanas, diferenças que plantamos ao longo dos séculos, ao longo da existência humana.
Mas, em todas elas, significa nascimento e algo divino, não nos pertence, ganhamos de graça, não criamos e jamais conseguiremos criar, no máximo reproduzimos a criação. 
O simples fato de nascer está em tudo e em toda parte. Em todos os países e continentes é exatamente igual.
Eis uma meta do Natal de hoje: Mais respeito, mais dignidade humana e é claro: mais gratidão. Quem sabe a gente comece a compreender que pessoas não estão à venda, que mulheres não são propriedade, que idosos não são lixo, que crianças não são objeto de consumo e simplesmente compreenderemos que tudo isso não é nosso.

O nascimento não pertence a ninguém, a nenhuma religião, a nenhum domínio empresarial, a nenhuma tecnologia de qualquer que seja a nação ou país. Nascer pertence ao divino, ao sagrado e é absolutamente maior que tudo e todos.

Que esse sopro de nascimento guarde a cada um de nós e a todos,
como na palma de suas mãos,
seguros e livres, na tarefa de construirmos um mundo melhor.

com carinho,

Nós, mulheres e homens, amigos e parceiros da AMSK

Presidente da Associação Internacional Maylê Sara Kalí ​- AMSK/Brasil


“Você meu caro, tem de merecê-lo,
Tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
Cochila e espera desde sempre”


Carlos Drumond de Andrade


Postagens mais visitadas